Amamentação

Amamentação: dicas para descida do leite e pega correta

Ainda estamos em clima da SMAM, a Semana Mundial de Aleitamento Materno 2016. Por isso, o assunto da semana não poderia ser outro: amamentação. Confira informações úteis sobre os primeiros passos na hora de amamentar o bebê: a descida do leite e a pega correta.

A descida do leite

O colostro é produzido pela mama ainda na gestação ou logo após o nascimento do bebê. Ele é uma espécie de pré-leite, rico em proteínas para garantir a saciedade do recém-nascido nos primeiros dias de vida.

A apojadura, ou a popular descida do leite, acontece naturalmente após o parto, geralmente entre o 3º e 7º dia. Segundo Rosane Baldissera, nutricionista especialista em Nutrição Clínica e consultora internacional em lactação, o tempo para o leite descer pode variar por inúmeros fatores, como tipo de parto, sucção correta do bebê ao seio e frequência de mamadas, estado emocional da mãe, entre outros.


A profissional destaca que a descida do leite pode ser caracterizada pelo aumento abrupto do volume das mamas, com inchaço do tecido glandular e edema mamário. Conforme destaca, quando o leite desce, a mãe deve seguir amamentando o bebê em livre demanda e manter-se calma, para que a ocitocina (hormônio que faz o leite fluir/ejetar das mamas) consiga agir naturalmente.

Rosane ressalta: “Se a mulher sentir dor ou desconforto nesse período, além de manter o bebê mamando com bastante frequência, ela deve fazer massagens nas mamas e realizar a ordenha do leite em excesso, caso o bebê não consiga mamar todo o leite que está sendo produzido. A ordenha pode ser realizada manualmente ou com auxílio de bombas extratoras de leite materno”.

Outra dica é evitar compressas quentes, pois elas estimulam a produção de leite, além de manter a ingestão normal de líquidos.

banner-para-blog-ebook-2

A pega correta

Quando o bebê pega o seio da mãe, deve-se observar como a sua boca fica posicionada. A pega correta vai fazer com que a mãe não sinta dor ao amamentar. A dor pode ser um indicativo de que o bebê não está pegando o seio como deveria. Além disso, a pega adequada faz com que o bebê consiga ordenhar o leite das mamas com eficiência. O pequeno não cansa durante a mamada e mostra-se satisfeito ao terminar de mamar.

Rosane evidencia: “O bebê que faz a pega correta abocanha a maior parte da aréola (parte escura do seio ao redor dos mamilos), a boca do bebê fica bem aberta, o lábio inferior fica virado para fora, o queixo do bebê encosta no seio e o nariz fica livre. O bebê faz movimentos ritmados e vigorosos, faz pausas para respirar, a mamada é silenciosa e o bebê mostra-se tranquilo durante a mamada”.

Lactancia materna

Confira alguns fatores que podem dificultar a pega correta:

  • Posicionamento inadequado do bebê para mamar: seu corpo deve estar alinhado ao corpo da mãe e a boca do bebê deve estar posicionada bem em frente ao mamilo.
  • Excesso de leite nas mamas: a aréola fica sem elasticidade e o bebê tem dificuldade em fazer a pega na aréola.
  • Uso de pomadas oleosas nas aréolas: o bebê não consegue manter a pega pois a aréola fica escorregadia.
  • Uso de bicos artificiais (chupetas, mamadeiras, bicos intermediários): isso porque a forma de sucção é diferente do seio, o que causa confusão no bebê na hora de mamar ao peito.
  • Mamilos planos ou invertidos: podem dificultar no início, mas não impedem a amamentação.


Quer saber mais sobre aleitamento materno? Baixe agora o nosso ebook gratuito: “
Amamentação: guia essencial para mães de primeira viagem”.

Ananda Etges

Jornalista e projeto de mãe de dois, o Vítor e a Clara. Mora em Londres com a família e trabalha home office com a loja mais linda do mundo: a BB + Lindo.