Amamentação

Dificuldades com a amamentação: os problemas mais frequentes e como resolver

As dificuldades com a amamentação podem fazer parte da jornada entre mãe e bebê. Nem sempre é fácil! No entanto, com alguns ajustes é possível persistir e superar eventuais problemas.

E para ajudar apresentamos algumas dificuldades com a amamentação que ocorrem com certa frequência. Além disso, temos dicas pensando na prevenção e na hora de lidar com os desafios.

Dificuldades com a amamentação

* Fissura ou rachadura no seio

O problema é comum, especialmente nas primeiras semanas de vida do bebê. Ele ocorre pela pega incorreta da criança na hora de sugar o mamilo da mãe, resultando em dor durante a amamentação.

Como prevenir:

– Posicionar o bebê corretamente para mamar, barriga com barriga com a mãe. Para uma posição adequada e mais confortável uma almofada de amamentação pode ajudar.

– Observar se a criança faz a boca tipo “peixinho”, com os lábios para fora. Também é importante que ela esteja não apenas sugando o mamilo, mas sim boa parte da aréola.
– Atenção: se o bebê estiver fazendo algum barulho diferente ao mamar ou engolindo ar isso pode indicar que a pega não está adequada.

Como tratar:

– Uma vez que a rachadura apareceu a mãe pode fazer banho de sol na mama para ajudar na recuperação. Na impossibilidade de exposição ao sol, uma alternativa é expor o seio diante de uma luz artificial de 40 watts à distância de 40 cm.
– Em casos específicos um profissional da saúde ou consultora de amamentação pode indicar uma pomada de lanolina.

* Ingurgitamento

Acontece quando a mãe produz mais leite do que o bebê demanda. As mamas ficam endurecidas ou empedradas. A mulher sente dor e incômodo. Pode acontecer em qualquer momento da amamentação, mas é mais frequente nas primeiras semanas após o nascimento do bebê.

Como prevenir:

– A amamentação em livre demanda, ou seja, quando o bebê solicita o seio materno, ajuda na prevenção do ingurgitamento.

Como tratar:

– Massagem delicada nas mamas.
– Retirar o excesso de leite, manualmente ou com auxílio de uma bomba. Mas atenção: cuidado ao usar a bomba, para evitar machucar ainda mais a mama que já está sensível.
– Com compressas frias após as mamadas (não mais que 20 minutos).

* Mastite

Trata-se de uma inflamação na mama, que fica vermelha, cheia e muito dolorida. A mãe pode sentir febre e calafrios.

Como prevenir:

– O que ajuda a prevenir a mastite é ajudar o bebê a fazer a pega correta e observar se ele está esvaziando bem o seio na hora de mamar.

Como tratar:

– Com compressas frias e esvaziando manualmente o seio.
– Dependendo a situação é importante procurar um médico ou consultora de amamentação para acompanhamento. O tratamento adequado vai evitar que a dificuldade se prolongue por mais tempo. Em alguns casos podem ser receitados analgésicos ou até antibiótico.

* Pouco leite/leite secando

Isso pode acontecer a partir da introdução de bicos artificiais, como chupeta ou mamadeira. O bebê pode chorar ao mamar e ficar impaciente quando está no seio.

Como prevenir: 

– Evite introduzir bicos artificiais. Se a mãe precisa se afastar por algumas horas ou vai voltar o trabalho ela pode ordenhar e o leite materno ser oferecido em um copinho ou com uma colher.

Como tratar:

– Ingerir bastante água pode ajudar na produção de leite.
– Ofereça o seio sempre que o seu bebê solicitar. Assim, a produção irá se ajustar com a necessidade da criança.

Ananda Etges

Jornalista e projeto de mãe de dois, o Vítor e a Clara. Mora em Liverpool/Inglaterra com a família e trabalha home office com a loja mais linda do mundo: a BB + Lindo.