Desenvolvimento infantil

Picos e saltos: guia para acompanhar o desenvolvimento do seu bebê

Os primeiros anos de vida do bebê são intensos no seu desenvolvimento. A criança cresce e muitas são as habilidades adquiridas e isso exige mais do organismo em alguns momentos específicos.

Tais fases são conhecidas como picos e saltos. Apesar de ambas provocarem alterações na rotina (especialmente no sono e padrões de mamadas), elas possuem algumas diferenças entre si.

O pico de crescimento é mais relacionado com aumento de peso e altura do bebê, enquanto o salto de desenvolvimento diz respeito à descobertas físicas e cognitivas (como avanço na visão, desenvolvimento motor, etc).

No texto de hoje vamos apresentar mais detalhes dos picos e saltos para você acompanhar a evolução do seu bebê. Além disso, o conhecimento sobre o assunto ajuda a identificar os períodos e na hora de lidar com eventuais dificuldades que podem surgir na rotina a partir deles.

Picos e saltos

* Picos de crescimento

O que são?

Em média, no primeiro ano de vida o seu bebê vai triplicar o peso do seu nascimento, além de crescer 50% da sua estatura ao nascer. É um verdadeiro marco de crescimento, que não vai se repetir tão intensamente ao longo da vida.

Vale ter em mente também que tal crescimento não é constante, ele ocorre de forma mais intensa em alguns períodos específicos, chamados de picos.

Como os pais percebem?

O pico de crescimento pode ser percebido com um aumento nas demandas de mamadas (confira aqui produtos para ajudar quando o assunto é amamentação). Muitas vezes isso até preocupa a mãe pelo aleitamento materno. Ela pode pensar que não está produzindo leite suficiente, o que não deve ser uma preocupação.

Isso porque o leite materno é produzido conforme a demanda. Ou seja, quanto mais o bebê mamar, maior será a produção. Assim, o corpo entrará em equilíbrio ao perceber que a criança passa por um pico e tem diferentes necessidades.

O maior número de mamadas também pode refletir no sono, com o bebê acordando mais vezes.

Quando ocorrem?

Os picos podem durar de poucos dias a uma ou duas semanas. Eles costumam ser mais intensos nos primeiros dias, quando a demanda de leite da mãe ainda está se adaptando com a maior necessidade do bebê. Uma vez que a produção de leite aumentar, tudo deve ficar mais tranquilo.

– 7 – 10 dias
– 2 – 3 semanas
– 4 – 6 semanas
– 3 meses
– 4 meses
– 6 meses
– 9 meses

* Saltos de desenvolvimento

O que são?

Os saltos de desenvolvimento estão relacionados com novas habilidades que o bebê conquista. Tais aquisições podem ser em relação ao:

– Desenvolvimento motor (sentar, andar, correr, etc)
– Desenvolvimento do controle motor fino (usar as mãos para segurar brinquedos, alimentos, desenhar, etc)
– Linguagem (desenvolvimento da fala e comunicação)
– Desenvolvimento cognitivo (raciocínio, memória, interação com as pessoas, etc)

Como os pais percebem?

Se o principal sinal do pico do crescimento é a maior demanda por mamadas, no salto os pais podem perceber um bebê mais carente e com necessidade de colo e atenção.

Além disso, o sono também é influenciado. A criança fica tão animada com a nova descoberta ou habilidade que quer praticar o tempo todo, inclusive quando deveria estar dormindo! Isso pode alterar a rotina e resultar em uma criança que reluta para as sonecas e fica irritada no fim do dia, por não ter descansado como deveria.

A dica para lidar com os saltos é ter bastante empatia com a criança. Tenha momentos de carinho e brincadeira ao longo do dia, para que ela se sinta segura e amparada.

Colo e contato físico ajudam bastante. Nesse sentido os carregadores de bebê podem ser úteis, tanto dentro de casa quanto em passeios e saídas em família.

Tente também manter a rotina e padrão de sono, por mais difícil que seja. Caprichar no ritual de sono também é importante, pois o ritual prepara a criança para a hora de dormir e pode minimizar os despertares noturnos.

O ritual consiste em uma série de ações antes de dormir, como banho, massagem, música, história e cama. Ele deve começar sempre na mesma hora e seguir a mesma ordem de atividades, todos os dias. O ideal é que o ritual aconteça com uma luz mais suave e em um ambiente tranquilo.

Quando ocorrem?

Seguem datas aproximadas para os saltos de desenvolvimento:

– 5 semanas (1 mês): a visão da criança melhora e ela já consegue acompanhar movimentos e objetos brevemente com os olhos. O bebê pode começar a chorar com lágrimas e sorrir.

– 8 semanas (quase 2 meses): o bebê começa a perceber seus pés e mãos. Também passa a notar diferenças nos sons, cheiros e sabores.

– 12 semanas (quase 3 meses): a visão melhora e a criança já consegue perceber todo cômodo em que está. Ela se vira com sons altos e pode descobrir seus próprios sons, como pequenos gritinhos!

– 19 semanas (4 meses e meio): um dos saltos mais longos, que pode durar até 4 ou 6 semanas! A criança fica bem impaciente e demanda muito colo e atenção. Aqui ela aprende a segurar e mexer pequenos brinquedos ou objetos, além de começar a levar as coisas à boca.

– 26 semanas (6 meses): o bebê pode sentar sem apoio e descobrir suas habilidades ao brincar (como colocar objetos um dentro do outro, coisas no topo, embaixo, etc).

– 30 semanas (7 meses): a criança passa a explorar mais os ambientes e quer mexer nas coisas ao seu redor! Aqui é importante ter a casa segura, com protetores e travas que vão manter o bebê longe do que não é adequado para a sua idade.

– 37 semanas (8 meses): o bebê começa a mostrar a sua personalidade e protesta quando não recebe o que quer (seja um brinquedo ou colo, por exemplo). A fase é bem difícil e pode ser marcada também pela ansiedade de separação. A criança pode falar algumas sílabas, como “papá”, “mamá”, etc.

– 46 semanas (quase 11 meses): seu filho vai começar a observar e reproduzir as interações que ocorrem ao seu redor, como colocar a chave na porta, o telefone no ouvido, procurar algo escondido.

– 1 ano e 1 mês: primeiros passos e novas palavrinhas para o vocabulário.

– 1 ano e 3 meses: o bebê responde pequenas ordens ou instruções, como “dá o brinquedo para a mamãe”. Também mostra maior desenvoltura para comer por conta própria, inclusive usando talheres.

– 1 ano e 5 meses: a criança já consegue organizar brinquedos por cor ou tamanho, joga bola, interage com bonecas e consegue rabiscar com lápis ou giz de cera.

***

Lidar com os picos e saltos pode não ser fácil e exigir por alguns dias ou semanas mais dos pais. No entanto, são momentos importantes para o crescimento e desenvolvimento do seu bebê, que logo terá novas descobertas e estará pronto para retomar à rotina normal!

Ananda Etges

Jornalista e projeto de mãe de dois, o Vítor e a Clara. Mora em Liverpool/Inglaterra com a família e trabalha home office com a loja mais linda do mundo: a BB + Lindo.